Quando eu era pequeno, eu comia: Recorte

Acho que o recorte já faz parte da sua vida a muito tempo.

Pelo menos da minha, ele já fazia antes mesmo de eu saber que ele se chamava recorte. Antes até, de me tornar cozinheiro ou começar a me interessar por cozinha.

Na época em que não sabia cozinhar nada, ele funcionava como uma bóia salva vidas, uma garantia que você podia ter uma refeição quente, decente e gostosa pra caralho, mesmo que não fizesse a mínima idéia de como preparar qualquer coisa.

Exemplo? Arroz e feijão juntos na panela. Quando ficavam bem quentinhos, juntava dois ovos e um punhado de salsinha. Mexia bem até os ovos ficarem mexidos e pronto! Algo desforme, sem nome próprio e com uma aparência duvidosa, mas que tinha o melhor gosto do mundo!

E por aí vai: Molho de macarrão com carne do churrasco, fritada de macarrão (bizarro, mas maravilhoso), arroz de forno, com combinações infinitas….a lista é sem fim.

Hoje em dia, depois de quase 10 anos esquentando a barriga no fogão e aprendendo de tudo um pouco, continuo fiel amigo do recorte. Só não vale chamar esse ícone da resistência gastronômica de “dirt rice” como já vi escrito em diversos lugares pela cidade. 

Gente, por favor, vamos ter orgulho! Nada de transvestir o pobre coitado com um nome “bonitinho”!

Afinal, duvido que na gringa se consiga reproduzir esse prato, que junta o que de mais gostoso a nossa cozinha tem, em uma panela só!

 

Recorte: Leitoa assada, cebolas caramelizadas, arroz e salsinha

Ingredientes:

– 4 cebolas grandes

– 50 gr de manteiga

– 50 gr de açúcar

– 400 gr de leitoa assada (ou qualquer outra carne de porco desfiada que você tiver)

– 200 gr de arroz branco cozido (o melhor é o que dormiu na geladeira, de um dia pro outro)

– 1/2 maço de salsinha fresca

– Pimenta do reino preta moída na hora a gosto

– Sal a gosto

 

Modo de preparo:

A única parte desse recorte que dá algum trabalho, são as cebolas caramelizadas. Mas também é algo bem simples, que você pode fazer enquanto bebe alguma coisa ou joga conversa fora.

Comece descascando e cortando as cebolas em fatias finas

IMG_9297

E colocando todas elas em uma panela média, ainda fria. Só com as cebolas lá dentro, você deve aquecer a panela em fogo alto

IMG_9317

Depois de uns 15 minutos, as cebolas vão começar a pegar uma cor. Esse é o momento de acrescentar a manteiga, o açúcar e temperar com uma pitada pequena de sal. Esses três ingredientes vão fazer a cebola soltar muita água, por isso, não se assuste se a panela ficar uma piscina, é absolutamente normal. Na verdade, nós queremos isso!

IMG_9321

Continue cozinhando a cebola em fogo alto e mexendo de vez em quando, até que toda a água tenha secado e as cebolas tenham ganhado uma leve cor caramelo.

Chegando nesse estágio, é hora do pulo do gato!

Seguinte: Pra fazer as cebolas ficarem cada vez mais escuras e caramelizadas, aquela derretência linda de se ver, basta continuar fritando em fogo alto, mexendo de vez em quando. O que nós queremos nessa hora é que parte do açúcar natural da cebola, devido ao alto calor, vire caramelo e grude ao fundo da panela, formando aquela “sujeirinha” cheia de sabor e cor.

IMG_9335

Quando isso acontecer, junte um pouco de água, suficiente pra soltar toda a “sujeira” da panela. Use a colher pra derreter todo o caramelo e garantir que ele se grude a cebola, dando a ela uma cor linda de morrer.

IMG_9347

Cada vez que você repetir o processo, a cebola vai ficar mais escura.

Continue caramelizando…

IMG_9349

Até a cebola ficar com cor de chocolate.

IMG_9365

Daí é juntar a carne da leitoa assada e desfiada…

IMG_9373

Mexer bem, pra misturar com as cebolas…

IMG_9377

Acrescentar na sequência o arroz branco…

IMG_9389

E terminar com a buy generic propecia online salsinha. Tempere com sal e pimenta do reino preta moída na hora e mais nada.

IMG_9399

Na hora de servir, junte uma mão cheia de cebolinha fresca cortada na hora e uma fatia de limão, para ser espremido em cima do arroz ainda quente.

O resultado é um arroz molhadinho pelo suco quente e levemente ácido do limão, que anda de braços dados com todo o sabor e untuosidade da carne de porco. De pano de fundo, o buy priligy online caramelo de cebolas e o frescor da cebolinha. Coisa linda de Deus.

IMG_9492

E você, o que tem na geladeira?

@Rangocamp, Chef-à-Porter e Um Jantar Em Uma Hora

E lá fomos nós comer, beber e cozinhar… Tem coisa melhor?

Nesse domingo aconteceu na incrível cozinha da Matilde o primeiro @rangocamp ou “todos os blogueiros que falam sobre comida, dentro de uma casa mais do que gostosa, cozinhando, comendo, bebendo e conversando como se o mundo fosse acabar amanhã”. A idéia do encontro é que cada um trouxesse um prato pronto de casa ou cozinhasse alguma coisa lá mesmo, em uma hora, usando os fogões, forno a lenha ou churrasqueira que estariam à disposição dos comilões.

Fiquei pensando: Uma hora, uma hora… Mas em uma hora dá pra fazer uma refeição completa! E foi essa a minha idéia-desafio, mostrar que com uma hora, 60 minutos, 3.600 segundos você consegue preparar uma refeição de três tempos (entrada, prato principal e sobremesa) e impressionar até aquele seu amigo mala, que fica dizendo que a comida demorou.

O menu preparado foi o seguinte:

Entrada: Salada morna de batatas com surubim defumado, jambú e dill.

Pratro principal: Saint Peter no papilote com leite de coco, cebolas roxas, alho poró e cogumelos

Sobremesa: Cartola (não é a de por na cabeça, mas o doce pernambucano de banana e queijo coalho)

Pra mostrar que a coisa era totalmente possível de ser feita sem pressa, afobação, desespero e caos completo na cozinha, levei todos os ingredientes em estado bruto e os lapidei lá.

A grande sacada quando você está fazendo diversos pratos ao mesmo tempo – e isso demorou algum tempo pra eu perceber e conseguir executar com sucesso – é que todos os seus movimentos e ações devem ser pensados. O tempo de cozimento de alguns alimentos dá espaço para que você faça outra coisa. Re-trabalhos também devem ser evitados, já que a coisa mais improdutiva dentro de uma cozinha é fazer a mesma coisa duas vezes. Uma dose de  organização também ajuda a não transformar a sua bancada na segunda guerra mundial e atenção e limpeza garantem que você e a sua cozinha – que é o que mais importa, já que é você que vai limpar ela no final – não fiquem inteiros manchados ou sujos de respingos de molho ou coisa parecida. Então vamos lá, recapitulando:

1 – Calma! Pense em todos os passos e como irá executá-los

2 – Organize o seu espaço de clomid online trabalho com todos os utensílios e ingredientes que vai usar

3 – Ponha uma música ou faça um drink pra acompanhar. Ajuda bastante também!

Excepcionalmente nesse post não vou mostrar como se faz os pratos passo a passo, afinal, temos só uma hora pra fazer a coisa acontecer e as pessoas já vieram xeretar o que você está fazendo.

P levitra online ara que você entenda por completo a dinâmica da coisa, não leia, repito, não leia o texto inteiro de uma só vez. Obedeça ao vai e vem e a correria da cozinha. Não se preocupe, você vai entender.

Vamos lá!

Entrada: Salada morna de batatas com surubim defumado, jambú e dill.

Ingredientes:

–  500 gr de batatas bolinha

– 100 gr de surubim defumado

– 1 milf porn punhado de dill

– 1 punhado de jambú (aquela erva amazônica famosa que amortece a boca)

– Sal a gosto

– Pimenta do reino moída na hora a gosto

– Azeite extra virgem a gosto

Modo de Preparo:

Lave as batatas e as coloque para cozinhar com casca em um litro de água com sal a gosto. Lembra do que eu falei sobre o tempo de cozimento dos ingredientes? Enquanto a batata cozinha, você faz o prato principal! Corre pra lá!

Hiiiii…ainda estão um pouco duras. Mas tudo bem, nesse tempo você faz a sobremesa! Veja lá embaixo como é rápido!

Não falei? Estão cozidas mais ainda firmes. Escorra as batatas e sobre a uma tábua, dê pequenos murros  para que fiquem amassadas. Assim os sabores que você vai acrescentar irão penetrar melhor e garantir um resultado fantástico. Em uma vasilha tempere as batatas com sal, pimenta do reino moída na hora, o jambú e o dill picados. Rasgue as fatias de surubim defumado com as mãos e acrescente as batatas, além de uma porção generosa de azeite. Mexa vigorosamente para que o sabor penetre nas batatas e deixe descansando por alguns minutos, cobrindo o recipiente com plástico filme, concentrando todo o seu aroma, calor e sabor.

Agora é só por a mesa e seguir a ordem que está lá em baixo!

Prato Principal: Saint Peter no papilote com leite de coco, cebolas roxas, alho poró e cogumelos

Ingredientes:

– 2 filés de Saint Peter Limpos e sem espinhas

– 1 talo de alho poro

– 2 cebolas roxas grandes

– 16 cogumelos shitake de tamanho médio

– 1 garrafa pequena de leite de coco

– 2 dentes de alho

– 2 pimentas de cheiro

– Sal a gosto

– Pimenta do reino moída na hora a gosto

– Papel manteiga para cozinha

Modo de Preparo:

Enquanto a batata cozinha corte o alho poro, as cebolas e o alho em fatias finas. Aqueça uma frigideira com um pouco de azeite, adicione a cebola e cozinhe até que fique levemente translúcida. Junte então o alho, o alho poro e cozinhe até que fiquem macios, mas com a sua cor original. Junte então o leite de coco, as pimentas de cheiro picadas e deixe o molho cozinhar levemente em fogo brando.

Enquanto a mágica acontece no molho, retire o cabo dos cogumelos, lave-os e coloque quatro deles no sentido de uma fila sobre um quadrado de 20 cm por 20 cm de papel manteiga. Tempere o filé de peixe com sal e pimenta do reino moído na hora e deite-o sobre os cogumelos. Nesse tempo, o molho já está pronto! Mexa bem para incorporar todos os sabores, acerte o sal e cubra o filé de peixe com ele, espalhando mais quatro cogumelos sobre o molho. Dobre o papel manteiga na forma de um envelope – da forma como você preferir, só não rasgue o papel pelo amor de deus, ou o molho vai vazar todo – e coloque sobre uma assadeira. Repita o processo com o outro filé e leve os dois ao forno a 130 graus até que os envelopes fiquem estufados.

Pronto, um já foi, faltam dois. Como será que estão as batatas, vamos ver? Volte lá pra receita delas…

Cartola

Ingredientes:

– 5 bananas maça buy clomid online maduras

– 100 gr de açúcar

– Canela em pó a gosto

– 100 gr propecia online de queijo de coalho

Modo de Preparo:

Em uma frigideira espalhe o açúcar e faça um caramelo claro, despejando-o no fundo de uma assadeira. Descasque e corte as bananas no sentido do comprimento, arrumando uma a uma dentro de uma assadeira. Não precisa ficar direitinho, só garanta que todas elas fiquem no mesmo nível. Salpique com canela em pó a gosto e cubra com fatias finas de queijo de coalho. Não leve ao forno ainda, se não os aromas vão se misturar no forno – lembra que o peixe está lá? – e você vai comer uma sobremesa com gosto de moqueca. Credo.

Volta lá pra entrada, aposto que as batatas já estão no ponto!

Pronto! Se você conseguiu seguir a programação, digamos assim, a salada já está pronta pra ser atacada, o peixe está quase no ponto e a sobremesa está montada e pronta pra entrar no forno. Sirva as batatas e quando você tiver acabado, o peixe já vai estar pronto.

Sirva o peixe e coma sem pressa ou preocupação, você já correu demais por hoje! Quando tiver chegado ao fim, coloque a sobremesa no forno e aproveite o tempo pra tirar os pratos da mesa, o que deve demorar uns 3 minutos.

Quando os pratos de sobremesa já estiverem postos, sirva a sobremesa.

Não falei que dava tempo de tudo?

chefaporter.com.br | powered by WordPress with Grace Comunicação