Quem não Gosta de Barriga?

Até que fim o frio!

Muita gente por aí torce o nariz e se encolhe quando aquele ventinho gelado começa a se espalhar pelas ruas da Paulicéia. Tem quem compre aquecedor, bolsa de água quente ou até mesmo aproveite pra virar o Santo Antônio de cabeça pra baixo, na esperança de deixar o dito bravo e ter alguém pra se embaraçar nas cobertas.

Diferente pra mim que amo o frio – sou nascido em Julho pessoal – é um momento de libertação, perfeição e fé. Hora de acreditar no poder da gordura e cozinhar e comer todas aquelas coisas maravilhosas, suculentas e brilhantes.

E como começar melhor do que com barriga de porco? Percebi nos últimos meses que esse corte, começou a aparecer com mais freqüência no açougue do supermercado onde bandeio. O mais curioso é que já vi muita gente olhando, pegando o pacote na mão, conversando de lado mas não levando, seja por achar algo esquisito de se comer ou mesmo por não saber como preparar.

Se você quer saber…

Barriga de Porco, Purê de Maça e Feijão Branco

Ingredientes:

300 gr de barriga de porco

500 gr feijão branco cozido

250 gr de lingüiça defumada

1 cebola grande

4 maças verdes

1 limão

50 gr de manteiga

Sal

Pimenta do reino moída na hora a gosto

Modo de Preparo:

Comece pelo purê. Descasque e pique as maças verdes, esquentando em seguida uma frigideira em fogo alto já com a manteiga. Quando essa derreter, acrescente a maça picada. Você vai reparar que ela vai começar a soltar uma porção de água. Não se assuste! Coloque o fogo no mínimo e deixe que elas cozinhem até ficarem macias.

Quando toda a água secar, é hora de prestar atenção no barulho que as maças vão começar a fazer: São uns estalos bem baixinhos, que indicam que a fruta está começando a fazer uma casquinha dourada no seu próprio açúcar. Nessa hora, é importante não ficar cutucando as pobres coitadas, ou elas nunca vão dourar. Tenha paciência e mexa as maças de vez em quando.

Dai pra frente é fácil! Acrescente o suco do limão e um pouco de água a frigideira. Nessa hora, todo o açúcar que estava zanzando pela panela vai passar pra água, dando uma cor de caramelo ao purê. Abaixe então o fogo no mínimo e deixe cozinhar até que as maças literalmente derretam, o que deve demorar de 1o a 15 minuto.

Daí é só bater com fuet para que o purê fique bem liso e temperar com sal e pimenta do reino moída na hora a gosto.

Segunda parte!  Pique a lingüiça em cubos pequenos e em uma panela grande e em fogo alto, a frite até que fique bem tostada e grande parte da sua gordura tenha derretido e esteja na frigideira.

Pique a cebola em cubos pequenos e aproveite toda a gordura (não vale jogar nada fora!) para fritar a cebola, até que ela fique bem dourada.

Nessa hora, acrescente os feijões brancos e mexa para que todos os sabores se combinem. Reserve deixando a panela no fogo mais baixo possível. Assim, os feijões continuam cozinhando e liberando o seu amido, deixando tudo cada vez mais cremoso.

Com todos os acompanhamentos prontos, l’heure de gloire est arrivé! Hora de atacar a barriga de porco!

Como você vai perceber, a barriga de porco tem também o couro da pele do porco, que você deve separar e guardar para dar sabor a cozidos ou sopas. Não vá jogar fora pelo amor de São Benedito! Na hora de comprar, prefira uma barriga de porco que tenha uma proporção de 50% de carne e 50% de gordura, o que dá um resultado bem legal.

O modo de preparo não podia ser mais simples: Tempere a barriga com sal e pimenta do reino moída na hora e em um frigideira muito quente, frite cada um dos lados até que eles estejam de um dourado de dar inveja. Daí, é só montar o prato:

De um lado o feijão, e do outro o purê de maça com a barriga de porco

Tem como ser mais simples?

A Primeira Harmonização de Chá com Quitutes Que Se Tem Notícia – Parte III

Cuidado, essa harmonização pode fazer você dormir em minutos!

Não que ela precise de muito tempo pra se preparada, mas toda aquela calmaria, aquela vela murcha de barco sem vento do maracujá, tem com o chá o poder de fazer a sua reunião rica em bocejos, piscadas longas e pedidos de algum lugar pra cochilar. Sugiro que você a faça para aqueles amigos mais íntimos, que já estão acostumados a dividir o seu sofá com o gato ou que ficam um tempo sem aparecer e são encontrados dormindo em algum canto da casa, como é o meu caso.

Vou confessar que ficar acordado depois desse quitute foi mais difícil do que esperava. Talvez não pelos efeitos do maracujá ou do chá que o acompanhou, sugerido pela querida Hanny Guimarães do Rota do Chá, mas por uma tarde de garoa fininha, fria, que abraçou e preencheu de preguiça e moleza Larissa Januário do Sem Medida, Leonora de Mauro do Foie Gras Literário, eu que escrevo e a própria Hanny. Depois só prestou deitar e dormir.

Cupcakes de Maracujá

Ingredientes:

Para a massa

– 150 gr de farinha de trigo
– 150 gr de açúcar
– 5 ovos, separados em gemas e claras
– 200 ml de polpa de maracujá
– 100 gr de manteiga
– 20 gr de fermento químico em pó

Para a cobertura

– 100 ml de maracujá, separada em polpa e sementes

– 75 gr de açúcar

Modo de Preparo:

Comece fazendo a massa, batendo a polpa do maracujá no liquificador. Não penere ou se preocupe em retirar as sementes, pois elas vão dar a massa uma textura crocante, além de deixar todo o cupcake salpicado por pontinhos pretos. Em uma batedeira misture as gemas, o açúcar e a manteiga até que a mistura fique leve e aerada. Em seguida, com a batedeira ainda ligada, some a farinha de trigo, o fermento e a polpa do maracujá, batendo até a mistura ficar homogênea e com uma cor amarela bem clara. Reserve.

Bata as claras em neve até que fiquem firmes e as acrescente a massa. Como no creme de limão que fizemos para o bolo de limão, é importante seguir a mesma regra: Acrescentar as claras aos poucos, mexendo sempre de baixo para cima com a idéia de incorporar sempre o maior volume possível de ar, o que deixará a massa leve e fofa. Unte pequenas formas individuais com manteiga e farinha de trigo, despeje massa até metade delas…

e asse em forno pré-aquecido a 180 graus até que o bolo cresça e fique dourado. Para saber se ele já está no ponto, insira uma faca no centro e observa se ela sai limpa e seca. Se sim, o bolo está no ponto. Se não, deixe mais alguns minutos.

Quando os cupcakes estiverem assados, retire-os do forno e espere que esfriem pra que possam ser desenformados com facilidade. Caso eles fiquem um pouco presos, nada de pânico! Solte as laterais com a ajuda de uma faca sem ponta e faça uma pequena alavanca com ela, deslocando o cupcake pra fora da forma.

Enquanto eles esfriam, mande ver na calda.

No liquidificador, bata a polpa até que ela fiquei líquida e lisa. Em uma panela misture-a com o açúcar até que ele se dissolva, aquecendo em fogo alto até ela ferver e abaixando o fogo para o mínimo possível quando atingir esse ponto.

Mexa a mistura de vez em quando, desligando o fogo quando você perceber que ela se tornou uma espécie de xarope. Não deixe a calda ficar muito espessa, pois quando ela esfria fica um pouco mais grossa do que quando está quente. Se ela ficar muito dura, você não vai conseguir confeitar os cupcakes e todo o trabalho vai servir pra nada.

Lembra das sementes que você tirou da polpa? Elas vão servir pra você decorar e dar aquela cara lúdica. Aqueça uma frigideira em fogo baixo e nela, torre as sementes mexendo de vez em quando para que fiquem crocantes e não queimem.

Com os bolinhos já frios e a calda pronta, chegou a hora de fazer a coisa toda ficar com uma cara bonita. Despeje uma colher de calda sobre os bolinhos, tomando cuidado para que ela não fique sobrando ou transbordando.

Calda é gostoso, eu sei, mas a idéia é fazer uma tipo casa de boneca, por isso, não exagere!

Depois de cobertos, salpique as sementes secas de maracujá e sirva, acompanhando o chá.

Nós harmonizamos o cupcake de maracujá com o Ceylon Pekoe UVA Highlands Highgrown, um chá preto do Ceilão que tem notas de chocolate no aroma e no sabor. O chá casou com maestria os sabores ácidos e adstringentes do maracujá, tornando a combinação sonolenta mais afiada ao mesmo tempo.

Pra quem ficar com vontade de experimentar o Ceylon Pekoe UVA Highlands Highgrown e todos os outros chás que mostrei e vou mostrar aqui, é só ir à Loja do Chá, que fica na Av. Brig. Faria Lima, 2.232, 3° piso – Shopping Iguatemi em São Paulo, de segunda a sábado das 10h às 22h e nos domingos das 14h às 20h. Dúvidas no telefone 3816-5359.

Brusqueta de Linguiça com Parmesão

Eu amo brusqueta.

Dentro da categoria “fazer em 15 minutos e comer no sofá” acho que não tem nada que ganhe de fatias fininhas de pão italiano tostadas, cobertas por alguma coisa que faça você suspirar. Já mostrei por aqui como é a minha favorita nos dias de calor, bem levinha, só mesmo com tomate, alho, azeite manjericão. Agora é o contrário.

Se você mora ou já veio a São Paulo nos meses de Junho e Julho, sabe como o vento e a garoa da paulicéia faz o maior dos brutamontes reclamar que nem criança pequena. Aquele vento frio junto com a chuva é um martírio dos piores, que só pode e deve ser passado com uma garrafa de vinho e algo bom pra se esquentar, seja sozinho em casa vendo um filme ou enroscando as pernas em baixo do cobertor. Como ninguém quer passar 23234943 horas na cozinha, a invenção da brusqueta de inverno é com lingüiça e permesão.

Brusqueta de Lingüiça com Parmesão

Ingredientes:

– 2 Fatias de pão italiano

– 2 lingüiças (podem ser da sua preferência. Eu gostaria de usar de Javali ou pernil, mas acabou sendo portuguesa mesmo)

– 1 cebola grande

– 100 ml de creme de leite fresco

– 75 gr de extrato de tomate

– 50 gr de parmesão

– Sal a gosto

– Pimenta do Reino a gosto

Modo de Preparo:

Comece cortando as extremidades das lingüiças e retirando a pele das mesmas. Isso garante que a molho não tenha aquela textura de “carne envolta por uma pele que não é muito boa de ser mastigada”, mas só mesmo de cubos de carne dentro de um molho aveludado e equilibrado. Pode parecer frescura, mas eu garanto que faz toda a diferença.

Depois, corte a lingüiça em cubos. Eles não precisam ser ideais, simétricos, iguais. Ninguém está procurando perfeição, só mesmo a satisfaçao total em um jantar honesto em um dia de frio. Só se preocupe que todos tenham o mesmo tamanho, o que garante um cozimento igual entre todos os pedaços.

Aqueça então uma panela média em fogo alto, e mantendo a mesma intensidade de calor, frite a cebola. Não se preocupe em colocar óleo, azeite ou mesmo manteiga. Essa função vai ser da lingüiça que vai entrar depois. A idéia é cozinhar a cebola e amaciar o seu sabor ácido característico, fritandoa até que os seus pedaços fiquem translucidos.

Acrescente então as linguiças e mantenha o fogo alto. Elas vão começar a tostar e soltar a sua gordura natural, temperando a cebola e criando um molho de babar.

Depois que as linguiças já tiverem pegado uma bela cor, acrescente o creme de leite, o estrato de tomate, abaixe o fogo e deixe os sabores se misturarem como mágica no molho. Agora é hora de ter paciência, calma. Vai fazer outra coisa.

Enquanto o molho cozinha, esquente o forno no máximo e toste as fatias de pão até que fiquem douradas e crocantes. Não demora muito, então tome cuidado pra não tostar demais. Um pão queimado amargaria a receita e faria você jogar os seus 15 minutos de preparo pela janela. Não é muito tempo, eu sei, mas ninguém quer ficar com fome e no frio.

Agora é a parte da glória. Você está quase no sofá, segura as pontas! Tempere o molho com sal e pimenta do reino moída na hora e cubra as torradas com ele. Seja generoso, pense como um refugiado que não come algo a séculos e vai apreciar a primeira refeição depois de anos.

Rale o queijo ralado por cima, abra a garrafa de vinho, fique de meias e se jogue no sofá com o prato em uma mão e uma taça na outra. A sua quinta-feira sem graça está salva!

Precisa de mais?

Receitas — Tags:, , , , , , , , — Gustavo @ 24 de junho de 2010
Próxima Página »
chefaporter.com.br | powered by WordPress with Grace Comunicação