Dieta é uma merda e você deve enganar: Creme de chocolate, bacon e suspiros

Vamos imaginar que você acordou cedo todos os dias, foi até o parque e caminhou, por mais de uma hora, naquele friozinho perfeito do começo da manhã, desejando, de verdade, estar em casa embaixo das cobertas dormindo e sonhando feliz. Depois comeu meio, meio! mamão, um copo de leite e pronto. Foi enfrentar o mundo com isso na barriga.

No almoço, traçou bife de berinjela, uma saladinha de folhas e uns tomates confits (a melhor refeição do dia) e depois, mais a noite, comeu uma sopa de alho poró com azeite, torradinhas de pão caseiro, uma taça de vinho e foi pra cama, sonhando com alguma coisa entre uma feijoada e um sanduíche de rosbife.

É meu chapa…Dieta não é fácil pra ninguém. Eu sei que é importante manter a forma, não morrer de derrame antes dos 50, mas também é, se não mais importante, enganar a dieta de vez em quando. Eu digo isso porque, cá entre nós, essa história de fazer um regime extreme fucking hardcore não faz o menor sentido. Você precisa comer gordura, açúcar e todas aquelas coisas que fazem a comida ser, enfim, comida. Seu corpo pede isso.

Mas de vez em quando, pelo bem estar social e psiquico das pessoas que estão a sua volta e seu, você deve se jogar nos braços do brigadeiro, no x-salada do seu Osvaldo e claro, no bacon, esse amigo de todas as horas. Se não, tenho certeza absoluta (e eu já vi acontecer), você vira um tremendo de um pentelho(a).

Aqui em casa, fiz uma sobremesa master arregaço, que sozinha, matou minha vontade de bacon, chocolate e otras cositas mas.

Sei que vocês vão achar a receita esquisita – larica eu sei que é – mas pode ir na minha, que você passa de ano. A combinação fica fodástica.

Creme de chocolate, bacon e suspiros

Ingredientes:

– 200 gr de chocolate meio amargo

– 50 gr de creme de leite fresco

– 5 tirar de bacon

– 100 gr de suspiros

Modo de preparo:

É isso aí: chocolate, bacon, suspiro. Tudo junto.

Primeiro ele, o bacon! Em uma frigideira média, em fogo alto, coloque para fritar as tiras até que fiquem douradas.

Primeiro de um lado…

Depois do outro.

Deixe o bacon escorrer sobre algumas folhas de papel toalha, até que fique bem sequinho. Reserve.

Agora o chocolate. Derreta ele em banho maria, até que fique macio e brilhante.

Junte então o creme de leite e mexa bem, até que o chocolate ganhe uma textura leve e cremosa.  Reserve.

Por último os suspiros. Eu usei esses que comprei pronto e adoro, mas se você quiser, pode fazer os seus próprios.

Agora é só montar o chepa.

Primeiro os suspiros, levemente quebrados

Depois o chocolate.

E pra coroar o bacon.

Daí é só repetir a ordem, fazer mais uma camada e pronto.

É, vou confessar que podia ter caprichado mais na apresentação, eu sei.

Mas imagine alguém que não comer açúcar a 15 dias fazendo isso?

Elvis Não Morreu, Ele Só Saiu Pra Comer Alguma Coisa

No dia 16 de Agosto, exatamente em 1977, Elvis Presley passava dessa pra melhor enquanto lia no banheiro da sua casa, o que me parece uma forma bastante decente de ir conhecer o grande fazedor de pão, que mora lá em cima.

Vou dizer que comecei a ouvir Elvis mais velho que o de costume. Não me lembro mesmo quando, mas um dia ouvi tocando, fui atrás, e daí pra frente não parei mais de dançar de meia, na sala recém-encerada.

Mas vamos ao que interessa do Rei. O que teremos hoje por aqui é o legado glutônico que Elvis deixou pra todos nós. Um legado grudento, crocante, gordurento e até podemos dizer sujo e trapaceiro.  Um sanduíche de banana, manteiga de amendoin e bacon. Dá ate pra entender porque ele empacotou aos 42. Bom, pelo menos ele aproveitou.

Sanduíche de Manteiga de Amendoin, Bacon e Bananinha Ouro

Ingredientes:

Duas fatias de pão da sua preferência (eu usei baguette)

2 colheres de sopa de manteiga de amendoin (a gringa é a melhor)

1/2 colher de sopa de manteiga

4 fatias de Bacon (daqueles que você compra em tirar bem compridas)

6 bananas ouro

Modo de Preparo

Esse é um sanduíche bem rápido de fazer, onde uma coisa e preparada enquanto a outra cozinha.

Ainda com a frigideira fria, estique sobre ela as fatias de bacon e coloque tudo pra fritar em fogo alto. Você vai reparar que um monte de gordura começa a inundar a frigideira, fazendo com que o bacon comece a boiar, o que não é legal. Retire o excesso de gordura e continue fritando, até ficar assim: Douradinho e crocante de um lado, mas ainda branco do outro.

Quando ele ficar nesse ponto, vire o baicon e deixe que o outro lado fique com um cor caramelo alaranjada tão lindo, que você tenha vontade de passar na cara. Deixe esfriar sobre um papel toalha, pra que escorra o excesso de gordura.

Aproveite a gordura que o bacon deixou na frigideira e frite em fogo alto as bananinhas ouro, até que fiquem douradas e macias. Quando atingirem esse ponto, desligue o fogo e deixe reservado quente. Hora de atacar o creme de amendoim.

A manteiga de amendoim você pode usar aquela que preferir, ou mesmo se não conseguir encontrar, basta pegar um punhado de amendoins e triturar com um pouco de óleo de amendoim, açúcar e uma pitada de sal. Fica a mesma coisa. Eu gosto bastante de uma marca chamada Planters e sempre que sei de alguém que vai pra fora, peço pra trazer uma.

Corte duas torradas da baguette e espalhe primeiro sobre ela um pouco de manteiga, e em seguida, uma camada fina de manteiga de amendoim. Não adianta se emocionar e colocar muito, pois se não vai ficar enjoativo e moribundo, uma chatice escorrendo por tudo quanto é lado.

A hora de se emocionar vem agora. Seja gentil com você mesmo e coloque um dedo de queijo prato, daquele amarelinho de derretência já conhecida. Depois, mande pro forno e espere o pão ficar crocante e o queijo se acomodar por todo lado.

Com o queijo já derretido e o pão crocante, espalhe de um lado o bacon, o partindo em pequenos pedaços e do outro lado as bananinhas ouro, cortadas na metade no sentido do comprimento.

Daí é juntar os dois lados e pronto.

It’s Nooooooooooooow or Neveeeeeeeeeeeeer!!!!

A Primeira Harmonização de Chá com Quitutes Que Se Tem Notícia – Parte III

Cuidado, essa harmonização pode fazer você dormir em minutos!

Não que ela precise de muito tempo pra se preparada, mas toda aquela calmaria, aquela vela murcha de barco sem vento do maracujá, tem com o chá o poder de fazer a sua reunião rica em bocejos, piscadas longas e pedidos de algum lugar pra cochilar. Sugiro que você a faça para aqueles amigos mais íntimos, que já estão acostumados a dividir o seu sofá com o gato ou que ficam um tempo sem aparecer e são encontrados dormindo em algum canto da casa, como é o meu caso.

Vou confessar que ficar acordado depois desse quitute foi mais difícil do que esperava. Talvez não pelos efeitos do maracujá ou do chá que o acompanhou, sugerido pela querida Hanny Guimarães do Rota do Chá, mas por uma tarde de garoa fininha, fria, que abraçou e preencheu de preguiça e moleza Larissa Januário do Sem Medida, Leonora de Mauro do Foie Gras Literário, eu que escrevo e a própria Hanny. Depois só prestou deitar e dormir.

Cupcakes de Maracujá

Ingredientes:

Para a massa

– 150 gr de farinha de trigo
– 150 gr de açúcar
– 5 ovos, separados em gemas e claras
– 200 ml de polpa de maracujá
– 100 gr de manteiga
– 20 gr de fermento químico em pó

Para a cobertura

– 100 ml de maracujá, separada em polpa e sementes

– 75 gr de açúcar

Modo de Preparo:

Comece fazendo a massa, batendo a polpa do maracujá no liquificador. Não penere ou se preocupe em retirar as sementes, pois elas vão dar a massa uma textura crocante, além de deixar todo o cupcake salpicado por pontinhos pretos. Em uma batedeira misture as gemas, o açúcar e a manteiga até que a mistura fique leve e aerada. Em seguida, com a batedeira ainda ligada, some a farinha de trigo, o fermento e a polpa do maracujá, batendo até a mistura ficar homogênea e com uma cor amarela bem clara. Reserve.

Bata as claras em neve até que fiquem firmes e as acrescente a massa. Como no creme de limão que fizemos para o bolo de limão, é importante seguir a mesma regra: Acrescentar as claras aos poucos, mexendo sempre de baixo para cima com a idéia de incorporar sempre o maior volume possível de ar, o que deixará a massa leve e fofa. Unte pequenas formas individuais com manteiga e farinha de trigo, despeje massa até metade delas…

e asse em forno pré-aquecido a 180 graus até que o bolo cresça e fique dourado. Para saber se ele já está no ponto, insira uma faca no centro e observa se ela sai limpa e seca. Se sim, o bolo está no ponto. Se não, deixe mais alguns minutos.

Quando os cupcakes estiverem assados, retire-os do forno e espere que esfriem pra que possam ser desenformados com facilidade. Caso eles fiquem um pouco presos, nada de pânico! Solte as laterais com a ajuda de uma faca sem ponta e faça uma pequena alavanca com ela, deslocando o cupcake pra fora da forma.

Enquanto eles esfriam, mande ver na calda.

No liquidificador, bata a polpa até que ela fiquei líquida e lisa. Em uma panela misture-a com o açúcar até que ele se dissolva, aquecendo em fogo alto até ela ferver e abaixando o fogo para o mínimo possível quando atingir esse ponto.

Mexa a mistura de vez em quando, desligando o fogo quando você perceber que ela se tornou uma espécie de xarope. Não deixe a calda ficar muito espessa, pois quando ela esfria fica um pouco mais grossa do que quando está quente. Se ela ficar muito dura, você não vai conseguir confeitar os cupcakes e todo o trabalho vai servir pra nada.

Lembra das sementes que você tirou da polpa? Elas vão servir pra você decorar e dar aquela cara lúdica. Aqueça uma frigideira em fogo baixo e nela, torre as sementes mexendo de vez em quando para que fiquem crocantes e não queimem.

Com os bolinhos já frios e a calda pronta, chegou a hora de fazer a coisa toda ficar com uma cara bonita. Despeje uma colher de calda sobre os bolinhos, tomando cuidado para que ela não fique sobrando ou transbordando.

Calda é gostoso, eu sei, mas a idéia é fazer uma tipo casa de boneca, por isso, não exagere!

Depois de cobertos, salpique as sementes secas de maracujá e sirva, acompanhando o chá.

Nós harmonizamos o cupcake de maracujá com o Ceylon Pekoe UVA Highlands Highgrown, um chá preto do Ceilão que tem notas de chocolate no aroma e no sabor. O chá casou com maestria os sabores ácidos e adstringentes do maracujá, tornando a combinação sonolenta mais afiada ao mesmo tempo.

Pra quem ficar com vontade de experimentar o Ceylon Pekoe UVA Highlands Highgrown e todos os outros chás que mostrei e vou mostrar aqui, é só ir à Loja do Chá, que fica na Av. Brig. Faria Lima, 2.232, 3° piso – Shopping Iguatemi em São Paulo, de segunda a sábado das 10h às 22h e nos domingos das 14h às 20h. Dúvidas no telefone 3816-5359.

Próxima Página »
chefaporter.com.br | powered by WordPress with Grace Comunicação