A Galinha Garnizé e seus ovos Pochê

Como quem convida dá banquete, eu não ia fazer diferente.

Usando os ovos de galinha Garnizé que ganhei de Dulce Horta, fiz um sanduíche praquele sábado onde você acorda depois da hora do café da manhã, mas antes do fim do almoço. O resultado foi um café-almoço com bastante “sustança” que não me deixou com fome até a noite.

Ovo Pochê de Garnizé com Cogumelos e Salada de Tomate Italiano

Ingredientes:

– 1 fatia de baquete ( do tamanho que você quiser)

– 2 ovos de galinha Garnizé (ou qualquer outro ovo que você prefira)

– 100 ml de creme de leite fresco

– 100 gr de tomates cereja italianos

– 300 gr de cogumelos paris frescos

– 50 gr de manteira

– Sal a gosto

– Pimenta do Reino moída na hora a gosto

– Azeita extra-virgem a gosto

Modo de Preparo:

Comece cozinhando os ovos. Ao contrário do que muita gente pensa, não é preciso ser um gênio ou cientista de foguete pra se fazer ovos pochê decentes. Ao invés de fazer naquele velho esquema com panela de água quente e um trabalho desgraçado, prefiro fazer os meus no forno. O cozimento é muito mais lento e você consegue ter um controle maior sobre eles. Comece temperando o creme de leite com sal e pimenta do reino moída na hora.

Em seguida, coloque o creme de leite em uma assadeira pequena que possa ir ao forno…

E coloque dentro do creme, os ovos.

Com tudo montado, mande a forma pro forno pré-aquecido a 180 graus por cerca de 10 minutos. É bom acompanhar com atenção o ponto dos ovos, balançando levemente a forma de vez em quando. Se eles ainda estiverem muito moles para o seu gosto, deixe mais tempo até que eles fiquem firmes. Se você preferir ele com a gema mais mole, desligue o forno e deixe que ele descanse dentro do forno quente. Com os ovos em ordem, comece a fazer os cogumelos.

Lave os cogumelos em água corrente até retirar toda a sua terra

E corte-os em quatro partes

Prontos pra ir pra panela!

Aqueça então uma frigideira com a manteiga e junte a ela os cogumelos. Depois de alguns minutos no fogo, os cogumelos vão soltar muito líquido e praticamente inundar a frigideira. Por tudo que há de mais sagrado, não jogue essa água fora! Cozinhe-os até que eles fiquem macios, deixando que a água evapore e concentre seu sabor nos cogumelos. Quando toda água tiver evaporado, mantenha-os na frigideira até ficarem douradinhos e simpáticos.

Com os cogumelos quase prontos. faça a salada de tomates cortando-os ao meio e temperando com sal, pimenta do reino moída na hora e azeite extra-virgem a gosto.

A essa altura do campeonato os ovos buy levitra já estão prontos pra você começar a brincadeira!

Aqueça o pão no forno até que fique quente e crocante, espalhando os tomates e em seguida os cogumelos. Por último, com a ajuda de uma colher, coloque os ovos, formando a visão do paraíso.

Deixei nessa receita o ovo mais firme, assim ele não se desmancha a cada mordida e você pode aproveitar sem ter medo que esse monumento a glutonice desmanche na sua mão.

Mas o meu preferido é com ele bem molinho, acompanhado só de pão e muuuuuuita manteiga.

E você, prefere o seu como?

Risoto de Tomate, Rúcula e Mussarela de Búfala

A história começou assim: “Gus, comprei um band hero, daqueles que vem com bateria, guitarra…não quer vir aqui em casa jogar não?”

Se você não sabe o que é o band hero, vou lhe contar. Imagine aquela sensação gostosa de Angus Yang onde você sola e rebola com a guitarra de plástico nas mãos, multiplicada por uma bateria e um microfone no mesmo estilo. Acrescente músicas como “Highway to Hell”, “Love in Elevator”, cervejinhas geladas, amigos e você têm uma noite perfeita em uma quinta-feira quente.

No calor só tenho vontade de comer coisas leves e que não pesam muito no estômago, mas com tanta gente pra alimentar – estamos falando de uma “banda” por aqui – preparei algo que deixasse o povo de pé, só que sem se arrastar pelos cantos como uma jibóia que acabou de comer um bezerro. A solução foi um risoto de tomate.

Risoto de Tomate, Rúcula e Mussarela de Búfala

Ingredientes:

– 300 gr de arroz arbóreo

– 1 maço de manjericão

– 1 maço de rúcula

– 2 cabeças de alho

– 2 latas de tomate pelado

– 1 pacote de mussarela de búfala (daquelas pequenas)

– 50 ml de vinho tinto (não precisa ser de primeira, só pra cozinhar mesmo)

– 30 gr de manteiga gelada

– Azeite de oliva extra-virgem a gosto

– Pimenta do reino moída na hora a gosto

– Sal a gosto

Modo de Preparo:

Esse risoto segue o modo clássico de preparo que eu já ensinei aqui no blog, só mudei o líquido de cozimento. No lugar do caldo, usei molho de tomate.

Começa assim…Pique as duas cabeças de alho em pedaços médios. Dessa forma você garante que ele cozinhe lentamente, soltando seus óleos naturais no azeite da panela e não queime e amargue o molho.

Não precisa picar muito não...

Em uma panela aqueça o azeite de oliva e frite o alho até que fique dourado.

Cuidado pra não amargar!

Bata no liquidificador as duas latas de tomate pelado até que fique um molho liso, sem pedaços grandes  e junte ao alho. Pronto! Você já tem o elemento “molhado” que vai cozinhar o risoto.

O elemento "molhado

Agora é aquela base clássica, só que com outra pequena mudança.  No lugar da cebola, entra mais uma vez o alho. Em outra panela – essa tem que ser grande! – aqueça mais azeite de oliva e frite-o até que fique dourado. Junte então o arroz, o vinho e mexa por alguns minutos para liberar o amido. Quando o cheiro de álcool desaparecer, comece a juntar o molho de tomate aos poucos.

Solte todas as folhas do maço de manjericão

Manjericão!

E acrescente ao risoto para que o sabor seja liberado aos poucos, durante o cozimento do arroz.

Tem que ser devagar...

Agora é seguir o processo de cozimento…Nada de pressa, relaxe! Mexa sempre o risoto pra que ele cozinhe de forma uniforme e ganhe uma textura cremosa. O ponto do risoto é algo bem pessoal…mais firme, mais macio. Fique livre pra deixar da forma que você preferir, afinal, ele é seu

Quando ele chegar no ponto certo, desligue o fogo e acrescente a manteiga gelada. A manteiga vai dar um brilho bem bonito e realçar ainda mais o vermelho do tomate, que vai estar incrível a essa altura do campeonato.

Agora vem o truque…Despeje o risoto em uma travessa plana, afunde nele as bolinhas de mussarela de búfala….

É só afundar...

E cubra com as folhas de rúcula.

Só mandar a rúcula por cima e pronto!

Com o calor do risoto, a mussarela vai derreter levemente e ficar cremosa. A rúcula vai dar aquele propecia online chute na porta com uma textura mais crocante e um sabor bem picante…

Happy Times!

O complicado é voltar pra bateria depois disso tudo.

Desce a mão fernando!

Domingo

Pode parecer estranho, mas sou uma pessoa que gosta de calor.

Mas não pense que falo daquele calor de ônibus lotado na praça Ramos com o termômetro em 32 graus, todas as janelas trancadas e o máximo de pessoas em pé se espremendo dentro, tentando com o seu máximo imaginar o fim daquilo tudo.

Gosto do calor de bate-papo furado com amigos, de cervejas geladas dentro de um tanque de lavar roupas transbordando de gelo e água. Daquele calor de fazer uma jarra de caipirinha sem culpa ou mesmo mentir pro seu chefe pra ir à praia.

Já que estamos passando por um calor desses hoje em São Paulo em um domingo com sol, risadas durante toda a tarde, um cochilo e uma chuva demais de boa no final na noite, vou mostrar o que fiz aqui em casa para o jantar. Algo bem leve, mas picante, que vai te deixar pronto pra sem-graça, chata e pentelhenta segunda-feira.

A receita é crua, não tem nada cozido, bem porque eu que não ia ficar esquentando a barriga na beira do fogão nessa altura do campeonato. Os ingredientes são frescos, ricos em sabor e personalidade e tudo é preparado pra se comer com as mãos, sem camisa e sentado na frente do ventilador.

Brusquetas de tomates, cebola roxa e hortelã

Ingredientes:

– 1 cebola roxa pequena

– 1 tomate italiano bem maduro

– 2 dentes de alho

– folhas buy priligy online de hortelã a gosto

– Sal a gosto

– Pimenta do reino moída na hora a gosto

– Azeite de oliva extra-virgem a gosto

Modo de preparo:

Comece picando os dentes de alho em pedaços que você possa morder e realmente sentir a textura. Nada de pasta, se não perde a graça. Corte então a cebola roxa em fatias finas e os tomates em fatias grosseiras, pra que ofereçam alguma resistência na hora de morder.

Cebola, tomate e alho

Cebola, milf porn tomate e alho

Em um pilão – caso não tenha, por favor, faça um favor a sí mesmo e compre um  – coloque os dentes de alho e cerca de duas colheres de sopa de azeite. Macere levemente não com a idéia de triturar o alho, mas sim de fazer com que os óleos buy clomid online do alho passem para o azeite. Deixe então descansar  por alguns minutos.

Tirando o gosto

Tirando o gosto

Depois disso tudo é um passeio: Em uma fatia de pão italiano daquelas de fazer inveja mande uma bela quantidade de azeite e só uma lembrança de pimenta do reino moída na hora. Eu por preferência e criação portuguesa, só uso azeite da terrinha, mas acredito que aqui um azeite grego ou turco não faria feio.

A base é essa

A base é essa

Em seguida leve a fatia de pão ao forno pra dar uma tostada e conseguir aquela cor bonita e a textura bem crocante. Saindo do forno espalhe o alho macerado, arrume as fatias de tomate por cima , a cebola solta em pequenos julietes e por fim as folhas de hortelã.

Tcham-Tcham!

Regue tudo com mais azeite e nada mais. Tenha já pronta uma cerveja muito gelada perto de você porque o gosto vai ser forte, mas muito refrescante por causa da hortelã.

Depois só desmaiando.

Próxima Página »
chefaporter.com.br | powered by WordPress with Grace Comunicação